sistemaaprendendo@gmail.com

(92) 98829 9604

Ensino Religioso - Parábola dos trabalhadores da vinha

Equipe da redação em: 07/08/2021

Gosto de muitas passagens bíblicas, embora não seja extremamente ligado à religião, considero que podemos extrair muitos trechos deste grande livro para nossa vida diária, seja de forma individual enquanto cidadão ou de forma coletiva enquanto sociedade.

Duas passagens bíblicas que considero extremamente relevantes e que nos levam a uma reflexão sobre nosso modo de vida atual são as parábolas do "Filho Pródigo" e dos "Trabalhadores da vinha" que tratam a justiça como um apelo à fraternidade  bem diferente do mundo pragmático e meritocrático que vivemos atualmente.

Hoje vamos falar sobre a parábola dos trabalhadores da vinha.

"O reino de Deus é como um proprietário de terras que saiu uma manhã cedo para contratar trabalhadores para sua vinha."

Agora, quando ele havia combinado com os homens de um denário por dia, ele os mandava para sua vinha.

E ele voltou para a cidade na terceira hora e viu homens parados preguiçosamente, então ele os contratou também depois de concordar que lhes pagaria um denário no final do dia de trabalho.

Na hora do almoço, o dono da vinha voltou à cidade e viu mais homens parados preguiçosamente, então os contratou também à taxa de um denário por dia.

Ele fez mais viagens à cidade à tarde, encontrando mais homens para contratar por um denário.

No final do dia, o dono da vinha instruiu o capataz a pagar o salário dos homens, começando pelos que começaram por último, até os homens que começaram a trabalhar primeiro.

Quando os homens que foram contratados pela última vez receberam um denário, os que começaram primeiro pensaram que receberiam mais e quando também receberam um denário resmungaram entre si, dizendo: "Temos trabalhado o dia todo e recebemos exatamente o mesmo que aqueles que foram contratados por último. "

O dono da vinha disse: "Você ficou muito feliz com o nosso acordo quando o contratei; o acordo que fiz com todos esses outros homens não tem nada a ver com você. É minha culpa ser generoso?"

Ele então lhes disse: "Peguem seu dinheiro e vão; desejo dar a esses outros homens o mesmo que vocês".

Ele também disse: "Não me é permitido fazer o que desejo com meu próprio dinheiro?"

“Pois os últimos serão os primeiros e os primeiros serão os últimos, pois muitos são chamados, mas poucos são escolhidos”.

Esta escritura fala muito sobre a natureza humana; muitas pessoas estão felizes com suas próprias vidas até que vejam o que outras pessoas têm.

É importante se concentrar em sua própria vida e não comparar sua vida e circunstâncias com as de outras pessoas.

Os trabalhadores que foram contratados no final do dia representam pessoas que foram salvas no final da vida, em oposição àquelas que foram salvas quando jovens.

Os trabalhadores da vinha que trabalharam o dia inteiro se consideraram mais dignos do que os que trabalharam menos horas, mas Deus salva pela graça e não pelas obras. Não é o quanto você fez pelo Senhor e por quanto tempo o que conta; é "Você acredita?"

O ponto principal é que Deus salva pela graça e não por merecimento. Isso se aplica a todos. SEM EXCEÇÕES !!

O ponto principal é que ninguém deve se considerar melhor do que os outros seres humanos. Jesus deixou isso bem claro nos relatos de Lucas quando contou a parábola dos dois homens que subiram ao templo para orar. Aquele que contou a Deus todas as coisas boas que ele fez se considerou melhor do que o outro homem que era um saco de rato aos olhos do outro, mas foi o chamado saco de rato que se humilhou para dizer que eu não sou digno, Senhor, Eu não sou nada sem você., Que estava certo com você.



Fonte de pesquisa: http://EzineArticles.com/10383026